Presente de Natal para namorada

Presente de Natal para Namorada. Se a dúvida surgiu na hora de escolher o presente de natal para namorada, não se preocupe: a AMARO preparou uma seleção de peças especiais que vão facilitar a busca pelo presente perfeito.. O estilo e a personalidade do seu amor são pistas valiosas sobre o tipo de lembrança investir no Natal. Você pode entregá-lo com presente ou...Oi meninas! No post de hoje trouxe moldes prontos para vocês montarem lindas caixinhas de presente que viram enfeites para a árvore de Natal! É uma maneira fácil e baratinha...Oi gente ♥ Meu nome é Thalia, esse é o meu primeiro de muitos posts que vocês verão no blog. Qualquer dia é dia para surpreender a amada e esquentar a relação entre um casal. Se você quer presentear sua namorada, seja no aniversário dela, aniversário de namoro de vocês, ou qualquer outra data especial, e não sabe bem o que comprar, nós fizemos uma lista com 25 ideias que irá agradar a grande maioria das mulheres. Com as nossas sugestões é mesmo impossível não encontrar o presente ideal. 11 ideias de prendas de natal para a namorada 1. Relógio, Parfois. Se a sua namorada é dona de um estilo elegante e adora relógios, nada melhor do que oferecer-lhe um. Mas, se acha que isso lhe vai rebentar o orçamento, calma. Presentes de Natal criativos: Como acertar na escolha do presente ideal para a sua namorada Com o final do ano se aproximando, chega o momento de escolher um presente de Natal criativo. Dentre tantas opções, fica difícil saber qual combina mais com o presenteado. Esse é um excelente presente de Natal para namorada, principalmente se ela for bastante vaidosa. A ideia é colocar em um potinho de vidro vários mimos para ajudá-la a se cuidar. Por exemplo: esmaltes, lixas, cremes de mão e de pé, máscara facial, adstringente, tônicos etc. 40 sugestões de presentes de Natal para o namorado Se você ainda não escolheu o presente do seu namorado/ noivo/ marido, este post pode te dar uma mãozinha. Listei 40 sugestões de presentes, se nada aqui servir para o seu amor, tenho certeza que pelo menos você terá alguma ideia do que presentear depois de conferir esta listinha. Como Fazer Um Presente Criativo para Namorada: Passo a Passo. O Baralho do Amor é um dos presentes criativos para namorada mais legais e fáceis de fazer em casa, além disso é uma forma de declarar todo o seu amor. São 52 mensagens românticas, representando as 52 cartas do baralho convencional. Veja que lindo fica quando pronto: Outra loja bem conhecida nessa área, e perfeita para encontrar presentes de Natal para namorada, é a Imaginarium. Você também encontra tanto presentes mais pessoais, quanto itens para decoração. Os preços, no entanto, são um pouco mais altos, uma luminária, por exemplo, custa R$ 229. 30/nov/2019 - Explore a pasta 'Presente de natal para namorada' de Ludmila Carvalho no Pinterest. Veja mais ideias sobre Presente de natal para namorada, Artesanato, Ideias para artesanato.

Me sinto uma Sugar Baby involuntária

2020.07.29 08:57 _j0g4_f0r4_ Me sinto uma Sugar Baby involuntária

Eu conheci um menino jogando tem um ano, a gente começou a conversar fora disso, ficamos bem próximos, acho que a gente se gosta, e muitas vezes nossas conversas tem tons sexuais. Ele tava planejando vir me visitar no meio do ano (ele é de outro país), mas o corona atrapalhou nossos planos.
Eu não sei muito bem o que a gente é, mas algumas vezes ele já sugeriu que me vê como uma namorada, e eu sinto a mesma coisa... mas a gente nunca discutiu oficialmente isso porque concordamos que não faz sentido até a gente se conhecer pessoalmente, mas a gente concordou que se for sair com outra pessoa, a gente deveria avisar para o outro e tal.
Nunca tive tanta proximidade com alguém online e eu realmente acho estranho a nossa relação... nem sei o quão isso é relevante para o desabafo mas eu sou prolixa.
Outra coisa sobre mim é que eu vivo reclamando sobre como tudo é muito caro, eu ganho mal e lido muito mal com dinheiro. Então é sempre aquela coisa, não passo fome mas nunca tenho dinheiro para investir em nada e se alguma coisa sai do controle, fodeu.
Esse meu amigo tem um padrão de vida confortável de classe média do primeiro mundo, sendo de um país ridiculamente rico então convertendo o dinheiro dele pro Brasil todos os meus problemas de dinheiro aqui são ridículos para ele.
Como a gente conversa muito, ele me ouve muito reclamando sobre dinheiro. Mas eu nunca tive intenção que ele se sentisse culpado ou de pedir ajudar porque, realmente, eu sou pobre mas tenho todo o básico, e se eu fosse mais organizada, talvez conseguisse ter uma reserva.
Anyway, logo que a gente começou a conversar bastante, era sempre frustrante a qualidade do meu microfone e internet. A gente reclamava sempre sobre isso, e ele se ofereceu para comprar um repetidor de sinal e um microfone para mim. Eu aceitei porque seria algo que eu ia usar com ele principalmente, e era perto do meu aniversário e ele meio que jogou essa justificativa. Só que eu me senti muito mal com isso, como se ele tivesse comprando meu tempo.
Daí ele resolveu que queria me dar um presente mesmo de aniversário e me comprou mais um monte de outras coisas, depois foi natal, e a mesma coisa. A justificativa dele era que o dinheiro dele rendia muito comprando coisas no Brasil, então ele gostava de comprar coisas para mim. Quase toda semana ele me compra alguma coisinha, livro, HQ, maquiagem, coisa de decoração, roupa.
Quando a gente começou a trocar nudes, eu comentei um dia sobre ter só um par de lingerie bonita porque era muito caro... e agora eu tenho uma coleção. Ele me comprou um vibrador que ele consegue controlar pela internet, que eu pesquisei o preço e foi mais de mil reais.
Tudo que eu reclamo para ele que é pagável, ele oferece para me dar. Eu me sinto mal com isso porque eu tenho medo dele achar que eu reclamo porque quero que ele faça isso enquanto esse é só meu jeito mesmo. E eu tenho medo dele sentir que está me comprando, ou depois achar que eu estou usando ele.
Eu tenho medo de estar, de fato, usando ele. De ele ser tipo muito solitário e estar feliz com a atenção que eu dou e me mimar desse jeito porque não sabe lidar com a atenção. Ele tem bastante amigos, mas tudo homem. Ele já teve namoradas, mas faz um tempo que ele não tem ninguém.
E é uma situação muito confortável para mim. Eu tive um problema com o gás do meu apartamento e em outras épocas eu teria me fodido muito procurando o lugar mais barato e tendo que parcelar em mil vezes, mas na hora que eu comentei com ele, ele já perguntou se eu tinha ideia de quanto seria e ofereceu para me mandar o dinheiro. Eu aceitei, porque ele fez parecer que era muito barato para ele e pra mim isso ia significar ficar uns 5 meses me estressando com parcela no cartão... mas a minha consciência dói.
Uma coisa que me incomoda especialmente nisso é como eu sinto que meu comportamento com ele é diferente de que eu tive com todo mundo que eu me relacionei. Eu não sei se é normal pela nossa situação, ou se é por eu me sentir na obrigação disso. Mas eu sempre sou um pouco distante, mas com ele eu sou muito afetuosa, do tipo que deixa mensagem de bom dia para quando ele acordar e fico até de madrugada acordada para a gente conversar um pouquinho na hora que ele acorda porque eu sei que ele fica feliz com isso, sempre mandou mensagem dizendo que estou com saudade quando ele está ocupado, mando selfie/nudes aleatórias, entre outras coisas. Eu nunca fui esse tipo de pessoa para nenhum namorado/amigo.
TL;DR: Conheci um menino online que me dá muitos presentes porque ele é gringo e fica feliz com as coisas no Brasil serem baratas mas eu tenho medo de estar explorando ele.
submitted by _j0g4_f0r4_ to desabafos [link] [comments]


2020.06.28 02:46 Background-Fish3121 Ciúmes do pai da enteada

Oi pessoal,
Há mais ou menos 15 anos conheci minha namorada. Ela já tinha uma filha na época, com pouquíssimos meses, recém-saída de um relacionamento conturbado de idas e voltas. Na época, nem eu achei que poderia dar certo, mas o fato é que a coisa foi rolando e cá estamos nós, agora com mais um filho de 5 anos nosso, a menina com 14, e morando todos juntos.
Como ela tem um pai biológico, consentimos que a menina não me chamaria de pai. Eu que dei essa ideia principalmente por não saber como ele reagiria, e por não ter certeza que o relacionamento duraria tanto. Mas, sem qualquer surpresa, eu terminei ajudando muito na criação dela, educando-a, ensinando-a as coisas da vida e se tornando o amigo mais próximo que posso ser. No meu coração, sinto como se fosse minha filha mesmo. Ela me chama pelo nome, e me apresenta como padastro (normalmente) ou pai (mais raramente) para as amigas e pessoas em volta. A família como um todo entende que ela "dois pais", e tenho certeza que ela também sente isso, pois eventualmente diz isso. Para terminar de contextualizar, ela é muito carinhosa comigo, me ama, nos entendemos muito bem e temos um relacionamento digno de pai-filha (e orgulhosamente daqueles modernos, pois sou bem mente aberta). Talvez pela situação, peco no sentido de não dar os devidos limites algumas vezes, peso que termina ficando sobre a mãe, já que o outro pai nunca participou da educação dela nem procurou saber como é feita. A mãe diz que ele é só oba-oba, pega no final de semana e devolve sem ter nenhuma preocupação com as responsabilidades que um filho exige; concordo que ele é sim (nunca perguntou nem demonstrou interesse em nada sobre a criação; acho que só muda se um dia encontrar uma parceira, ter outro filho e não se separar), porém como a mãe e o pai dela não tem uma boa relação, fico sem ouvir o outro lado da história e bater o martelo sobre esse aspecto. Por fim, vale dizer que minha enteada e o pai dela também tem uma boa relação, e apenas imagino como deve ser pra ele também tudo isso, se é que ele pensa sobre (acho que não).
Como a guarda é da mãe, a menina sempre teve mais contato conosco que com o pai, ainda mais que há alguns anos precisou mudar para Natal a trabalho (moramos em Brasília), com visitas mensais e videochamadas para tentar suprir a distância. A menina não toma a iniciativa, é o pai que tem que ligar.
O ponto onde quero chegar: nos últimos anos tenho sentido muito ciúmes da relação dela com o pai. Cada presente que ela ganha, cada conversa animada, tudo isso termina me deixando meio bad, e as vezes fico chateado só por ele ligar (normalmente uma vez durante a semana é uma no fim de semana). Quando tive meu filho, achei que ia deixar essa questão um pouco de lado, mas parece que piorou. Acredito que seja porque depois que ele nasceu eu me aproximei como nunca da minha enteada, com medo de que ela se sentisse rejeitada dada a atenção que o irmãozinho novo naturalmente recebe (se já é comum entre irmão biológicos, imagine nesse caso...), mas divago.
Procurei muito na internet e não encontrei caso parecido com o meu, somente orientações de como ser um padrasto. Aprendi que o correto é não tentar substituir o papel de pai (pois ela tem um), muito menos criticá-lo ou aliená-la parentalmente, porém isso está me consumindo mais do que o normal e tem me incomodado cada vez mais, a ponto de eu achar na minha cabeça que é uma rivalidade (e claro, é óbvio que não é!).
Gostaria de saber a opinião de vocês se alguém tem alguma situação parecida ou dicas de como posso lidar com isso.
Criei uma conta só pra isso porque sabe como é o DF, pra me identificarem não precisa muito.
submitted by Background-Fish3121 to desabafos [link] [comments]


2020.06.21 20:43 Wooden_Statistician3 Tudo que falo só piora e só queria que voltasse a ser como era antes

Desabafo. Há alguns meses casei, depois de menos de um ano de namoro. Apressado? Com certeza. Mas as circunstâncias meio que pediam. Ela veio de uma família extremamente quebrada e tóxica. Vivia sozinha há alguns anos, dependendo de auxílios de faculdade, parentes que só sabiam reclamar de estar ajudando, etc. Ela tem depressão profunda, e não tinha nem como se tratar.
Quando a conheci ela estava namorando, mas um namoro só de fachada, pois na verdade ele era abusivo e não deixava ela terminar, sob ameças contra a própria vida por parte, e à vida dela por partes de parentes dele. Durante boa parte da sua vida, a chamaram de feia, estranha, etc. Na faculdade as coisas mudaram, e começaram a enxergar a sua beleza, ficou com vários, mas sua auto-estima baixou tanto ao longo da vida que ela aceitou namorar com essa cara, sem nunca de fato querer, e acabou presa nesse relacionamento por mais de 2 anos.
Eu só tive uma namorada, há mais de 10 anos, e um crush forte até alguns anos atrás, o qual acabou em inimizade total. Sempre percebi que não era interessante pra nenhuma garota, na aparência, e nunca tive qualquer desenrolar pra "chegar". Depois de namorar, tomei gosto, e tentava. Porém do meu jeito tímido e, claro, ineficiente. Anos disso me fizeram perceber que não havia porque eu ficar insistindo em "achar alguém", se fosse acontecer seria no dia-a-dia normal, ou quando eu realmente me melhorasse como pessoa. Foquei então na minha educação e no profissional.
Um dia ela, ainda em namoro abusivo, falou comigo pelo Whatsapp, tarde da noite. O meu racional dizia pra eu ir dormir, pois a pessoa responsável e profissional dorme cedo e acordar cedo (ou assim deveria, pelo que dizem). Mas algo me fez querer falar com ela, mesmo que ainda de forma um tanto fria, admito. Papo vai, papo vem. Como parecia ser só uma amizade, eu falei abertamente com ela, inclusive quando ela perguntou de relacionamentos/crushes passados.
Semanas depois, ela termina o namoro e diz que gosta de mim. Pela primeira vez em muitos anos volto a sentir aquilo que senti no primeiro namoro. E ficamos, e namoramos, e tudo foi muito intenso. E então casamos, para que ela pudesse ter acesso ao meu plano de saúde como dependente e tratar, principalmente, da depressão, pois várias noites a vi chorar pelo seu passado que ainda atormenta o seu presente: ela não consegue nem mais estudar e boa parte das tarefas domésticas ficam pra mim. Mas havia tudo pra melhorar, não havia? Infelizmente, tudo mudou um dia.
Ela acordou e disse que sonhou que eu falava que eu achava aquele meu crush forte (Fulana) de alguns anos antes mais bonita que ela. Depois de algumas horas, como se perguntasse algo banal, ela perguntou se achava mesmo. O problema: eu considero a Fulana bonita, mesmo nível, mas o sentimento que existe é pela minha esposa e, obviamente, ela me é "a mais bonita". Mas ela não aceitava esse tipo de resposta, ela queria que eu respondesse de forma crua. Eu, que sempre procuro ser honesto, correspondi. Como considero as duas de mesmo nível, foi difícil. Conseguia lembrar de momentos onde uma estava mais bonita que outra, mas não chegava a "vencer". Uma certeza eu tinha, e continuo tendo, minha esposa tem a maior capacidade, ou seja, consegue ser a mais bonita. Mas ainda assim minha resposta não foi suficiente: ela dizia que eu estava enrolando, com medo de dizer a verdade. Não entendi do que deveria ter medo afinal, pra mim, a resposta mais direta e crua não fazia a menor diferença nos meus sentimentos para com ela. E, se eu estivesse raciocinando direito eu teria percebido a armadilha bem ali na minha frente, mas eu caí nela quando ela novamente exigiu a resposta direta e crua: ou ela ou a Fulana. E eu falei a Fulana.
E, de repente, ela começou a me atacar. Dizendo que eu acho a Fulana "linda e maravilhosa" e ela feia (quando pra mim ambas tão no mesmo nível, e pra mim ela vai ser sempre a mais bonita, pois é ela que eu amo). Que meu sonho era que tivesse dado certo com a Fulana, mas que ela foi o que deu (quando ela, e somente ela, que conseguiu reacender meus sentimentos, mesmo quando tudo dizia que não valia a pena sonhar com isso (afinal ela tinha namorado, etc.). Eu tentava explicar meus sentimentos, mas nada adiantava. A frustração, a angústia tomou conta e então, a raiva. Raiva de como algo que estava morto no passado, voltou pra me assombrar. Raiva de que algo completamente irrelevante no meu presente, e portanto nosso presente, estava ali, destruindo nosso casamento. Pois ela começou a querer ir embora, anular casamento, se separar. E na tentativa de melhorar as coisas, eu sempre piorava. Acabei falando palavras (que pra mim não teria tanto significância se ela dissesse), mas infelizmente pra ela tinha: disse que ela estava sendo "idiota" por insistir tanto nas afirmações desses ataques e desconsiderar completamente o que eu sinto e falava. Só estava tendo "amenizar" a situação, segundo ela. E que no fundo, eu queria alguém """melhor""" que ela.
Isso foi uma tarde. Ela eventualmente parou quando percebeu o quão mal eu estava. E claro que eu estava. A pessoa que eu amo e por quem eu faço tudo, praticamente "inventou" um motivo pra me atacar. E daí que numa análise crua e racional, naquele ponto específico da história, a Fulana havia "vencido" no concurso de beleza entre as duas. Grande bosta. Minha esposa continuava sendo bonita, e pra mim e meu amor, a mais bela. Era ela que realmente havia gostado de mim, era ela que quis casar comigo, era ela que me acompanhava nos filmes de sábado à noite, era ela com eu me via vivendo pra sempre do lado. E de repente, parecia que nada mais disso iria se tornar realidade e por quê? Por algo que nem ao menos mudava o que eu sentia em relação a ela e nunca iria.
Durante o final da noite, eu tentei dormir, mas não conseguia. Tentei assistir vídeos de "como lidar com a pessoa amada em depressão". E ela começou a chorar do meu lado, muito. Larguei o vídeo, abracei-a. E ali as gentes se aceitou novamente. Ou assim parecia, porque poucos minutos depois, ela pergunta, inocentemente, se eu acho minha irmã mais bonita que ela. E o fato é, se eu dissesse que não seria uma bela duma mentira, e mesmo que eu achasse, ela diria que eu estava falando aquilo só pra agradar. E eu, O idiota, achando que estava tudo bem de novo, respondi que sim. E novamente ela começou a me atacar. E POR CAUSA DA MINHA IRMÃ!?
Atualmente eu me considero forte pra aguentar essas coisas, mas não dava mais. Ela quebrou minhas defesas com esses ataques. E tudo que ela me falava soava como "EU TE ODEIO". E eu aceitei esse ódio dela, pois, afinal, ela devia estar certa. Eu sou uma pessoa com 30 anos, aparência ok, mas que não tem amigos e só teve uma namorada antes dela. É óbvio que tinha algum problema, o problema de que eu era detestável. Eu sempre tentei demais ser prestativo e tudo mais, mas quando o assunto são sentimentos eu nunca consegui transmitir isso. Abraço minha mãe quatro vezes ao no: aniversário dela, o meu, dia das mães e natal. Sempre um abraço bem "desengonçado". Eu noto isso, mas sempre foi assim, e eu não sei mudar. Eu sei o que eu sinto, mas minha demonstração é e sempre vai ser insuficiente. E por isso todos ou acabam por me detestar ou se afastar de mim. Mas eu realmente pensei que com ela seria diferente.
Alguns dias se passaram e as coisas até foram melhorando. Até que cai tudo de novo. Ela conta pra uma pessoa, que mal conhece, que eu achava que ela na praia não ficava tão bem quando dentro de casa. Sim, eu havia falado algo do tipo, quando no começo da discussão ela pedia pra eu ser mais direto. Oras, ela tem umas manchas, gordurinhas a mais, etc. do que a fulana. Eu me sinto menos bonito do que um cara que não é assim, mas nem por isso me acho feio, ou ache vou sempre ser inferior. É só eu cuidar disso. E se não cuido, é porque tenho outras prioridades. Da mesma forma com ela. Não acho ela feia, nem menos bonita, só relatei o óbvio. E se ela não quiser cuidar, ou não conseguir cuidar, não é problema pra mim. Eu casei com ela pelo pacote completo. E assim como eu, ela também vai com o tempo perder pontos na aparência. E assim como eu, espero que ela ainda me ame, ainda me ache bonito, com eu continuarei amando ela e achando bonita. Mas não importa eu falar isso. Pois ela quer sempre dizer que tudo isso que eu falo é balela, enrolação, agrados, etc.
Pelo meu jeito detestável de demonstrar sentimento ela perdeu totalmente a confiança nos meu sentimentos, a ponto de nada o que eu falo valer mais. Ou talvez, no fundo, ela espera que eu seja pra sempre tão bonito quando ela acha atualmente, e quando eu não foi mais, ela vai me trocar por alguém que envelheça melhor. Mas se eu falo isso pra ela, ela bate o pé pra dizer que pra ela é completamente diferente, que o sentimento dela é real, mas que o meu? O meu é de mentira, porque assim ela decidiu. E ela ainda diz que eu mereço alguém ""melhor"". Mas o fato é, que ela se estiver certa, o que eu mereço é desaparecer. Pois o meu eu que ela odeia, é o único eu que existe. E se ela não é capaz de amar esse meu eu, e insiste em brigar, está mais que na hora de ela admitir o que está bem na frente dela: ela não me ama. Não mais. Só espero que não tenha sido nunca. Porque pior que ver tudo se destruindo e não poder fazer nada, pois nada do que eu falo impede, pelo contrário, piora, e ficar calado não é opção, então que pelo menos não tenha sido tudo uma mentira.
E hoje ela do nada veio falar que tá com medo de engordar, pois, segundo ela, eu falei que iria querer outra se assim acontecesse. Eu nunca falei isso, assim como nunca falei outras coisas com as quais ela vem me atacando. Mas o pouco que eu digo, se transforma num muito na cabeça dela. Eu não aguento mais. Eu peço pra ela parar, mas ela insiste em, nas palavras delas, "me colocar contra a parede pra botar as verdades pra fora". Mas do que adianta isso, quando ela já decidiu o que é verdade e o que é mentira? Nada, e por isso eu só queria que ela parasse. Que não pelo amor que ela supostamente sente por mim, mas pelo menos em consideração a tudo que eu fiz por ela.
Pois agora eu já não sinto nada. Um nada que não me permite nem ao menos dizer o que sinto por ela. Mas enquanto eu quero acreditar que ainda amo ela, ela insiste. Eu novamente pedi pra ela parar, e afirmei que não sei mais se gosto dela, mas que se ela realmente me ama, ela tinha que parar, e me deixar sentir novamente. Mas meu medo é que ela continue (ela está passeando com uma amiga nesse momento), pois se ela continuar o pior vai acontecer. O amor vai virar ódio. A vida vai virar morte. Figurativamente (apesar de temer, e muito, que aconteça literalmente para ela).
submitted by Wooden_Statistician3 to desabafos [link] [comments]


2020.06.17 10:33 Lariplush Achei que era romance Netflix mas virou novela mexicana.

Olá, Lubisco, editores, Jeans, convidados e turma que está a a ver,(rip papelões). Minha história é meio grande mas vou tentar resumir pra vcs. Essa história já tem uns anos que vem rolando mas só percebi recentemente, tudo começou em meados de 2016. Eu vim morar em uma cidade de interior bem pequena lá pra 2013 ou 2014, (ps: nasci em SP e cresci lá tem 7 ou 8 anos que estou aqui), logo que cheguei me engracei com um hetero e tivemos um relacionamento longo, logo não saia muito de casa era só rolê de casal mesmo (logo vao entender o pq). Em meados de 2016 eu e o boy estávamos brigados minha mãe não queria ver ele, então combinei com uma amiga de ir na única boate da cidade pra fingir que to no rolê com ela e sair com ele, antes de ir pra boate ficamos eu, minha amiga e meu amigo gay esperando o meu noivo na época chegar em um barzinho de frente. Quando chega um grupo de meninas, uma delas ficou me olhando fixamente e meu amigo disse que o gaydar dele tava apitando que ela me queria, sempre fui bisexual mas não dei muita importância na época pq tava focada no meu relacionamento com o boy que logo chegou e eu sai de lá. O tempo passou e em 2017 eu pra casar com boy estava terminando os estudos junto com ele, estudávamos a noite na mesma sala, chegando na sala nova me deparo com a garota esquisita de novo (Ps: na época não me lembrava que era a mesma do barzinho), sentávamos próximo a ela tipo do lado separados por um corredor. O boy que eu estava era extremamente tóxico (vivia em um relacionamento abusivo e nem sabia) brigava comigo por tudo e sempre riamos brigas feias na sala, e ela acompanhava tudo de perto. Um belo dia ele ficou encarando a menina dizendo “essa desgraça não desconfia? Culpa é sua que gosta de ficar chamando atenção por ai”, eu sem entender nada achei que era loucura da cabeça dele, no outro dia começei a reparar e vi uns sinais, mas permaneci acreditando que era loucura, nesse meio tempo fomos sorteados pra ganhar um curso pré vestibular. E adivinhem quem foi sorteadas? É isso ai eu e ela. Nos aproximamos durante esse curso que era junto com outras escolas, sentávamos juntas e brincávamos tava começando a sentir coisas diferentes, até que um dia ela foi com outra garota que nem era do curso pra lá, eu supus que era namorada dela (a mina tinha cara de mal) então esse dia sentei com grupo de amigas, eu andava com as blogerinha populares pq era modelo na época, depois que ela me viu com a turma ela sumiu do curso, (na época não achei que fosse por minha causa). Na escola ela faltava quase sempre e eu tbm e não nos falávamos porque o boy morria de ciúmes dela, trocamos umas msgs no face pra trocar matéria ela me chamou pra sair com amigos mas não fui. Vida seguiu ano acabou, anos se passaram. O boy abusivo começou a ser agressivo comigo e lá pra fim de 2018, um belo dia em casa viu minhas msgs do face e achou minha conversa com ela e surtou “vc disse que ia sair com ela? Ia escondida? Pra quem não meche no face entrou só pra responder ela?” E no meio da briga me agrediu. Dai eu dei um basta e separamos, meses se passaram e já tava até com outro boy. Veio a black friday de 2019 e eu e meu novo boy decidimos passar na Americanas a madrugada comprando besteira, na fila a minha frente tinha uma garota primeira amiga que fiz quando cheguei na cidade, tínhamos nos afastado com o tempo e aquele dia nos reaproximamos e marcamos uns rolês, no segundo rolê com essa amiga minha estávamos conversando sobre sexualidade e eu disse que era bi mas que daquela cidade nunca tinha tido interesse em nenhuma guria, exceto uma ela me perguntou como era, dai eu expliquei, dai ela disse “mentiraaaa” e a (vamos chamar de Arls) eu disse que sim ela disse “que tudo” e passou, isso foi no domingo, quando foi quarta-feira, adivinha quem me solicita seguir no insta? Poiseee, já logo perguntei oque minha amiga tinha falado. Ela mandou o print que dizia “minha amiga quer beijar sua boca” pra Arls, é amados essa vergonha eu passei a vista. Começamos a conversar eu me expliquei pra ela papo vai papo vem, ficávamos conversando durante horas e horas madrugadas e madrugadas, marcaram um rolê pra gente se vê, (eu já tinha largado o boy da época), e dai rolou nosso primeiro beijo no banheiro de um posto de gasolina com total de 90% de pressão das 20 pessoas em volta que eu conhecia apenas 2 ou 3 no máximo, (Ps: sou extremamente tímida pra mim foi muito difícil), as coisas foram indo, nós morávamos no mesmo bairro, chegou Natal (ai Natal), ela foi em casa com uma galera depois fim de noite fomos pra outro posto. Estava eu lá bem bebada doida, mas clima de casalzinho com ela e a galera. Adivinha quem chega no posto? Isso mesmo o boy tóxico, (esqueci de contar que depois do término antes desse Natal ele já tinha me ameaçando várias vezes e tentado passar em cima de mim com o carro várias vezes tenho testemunhas disso) eu vi, ela viu que eu fiquei nervosa (medo o nome mesmo) e sem saber que um dos motivos do meu término foi ela, me beijou na frente dele, e foi lindo pq eu queria mesmo que ele me deixasse em paz e com ela eu tava bem e feliz (por enquanto). Depois disso ele só me chegou muito por msg e sumiu. Eu pensei é isso, mas meus pais não sabiam que eu era Bi, e tudo era escondido na cidade pequena e ela sempre me vinha com papo de “fique com outras pessoas pq não quero me prender eu vou pegar geral tbm uhul ✌🏻” falei “suave suavao” tava na época de liberdade pós relacionamento abusivo e tals dai eu tinha uma pessoa pra cada dia da semana, era o Farls a Larls o Cals a Tals, e por ai vai, sempre tive muitos amigos e bebia quase todos dos dias (meus pais estavam se separando tbm estava em uma fase difícil), mas sempre dava preferência pra ela (se ela quisesse namorar de verdade abriria mão de tudo por ela), até que prece que ela começou a se incomodar, a amiga da black friday começou me dar uns toques “para de trair ela” e eu “gente não namora é isso que ela quer”, ela tentava me fazer ciúmes nos roles que iamos mas as guria davam em cima de mim e ela emburrava, (nunca fiquei com ninguém na frente dela, quando tava com ela era só ela), um dia perguntei pra ela se ela queria que eu parasse se isso incomodava ela, ela me disse que não é que era coisa da minha cabeça, e que ela não podia namorar pq já tinha uma web namorada. Ok, continuei nos roles curtindo como se não houvesse amanhã, ela começou a mudar comigo me tratar mal ficar estranha, já não nos falávamos mais as madrugadas e sempre com grosseria, dai parei com meus roles tentei ser mais presente sempre levava um chocolate quando ela estava triste, (eu sempre gostei dela fazia aquelas coisas pra não me apegar a alguém que eu achava que não me queria e tinha medo de me machucar de novo), mas as coisas foram ficando cada vez mais estranhas, quando eu ia pra lá ela não saia do celular conversando com umas guria, nunca senti ciúmes pq não me achei no direito já que não tínhamos nada mas parecia sempre que ela queria esfregar na minha cara. Fato é um belo dia ela pediu para sermos apenas amigas, não durou 3 dias tava na cama dela de novo, ai começou um briga e se pega de novo teve muita coisa nesse meio não vou contar tudo pra não ficar muito maior do que já ta, mesmo assim ainda acho que ela não gostava de mim. Tinha uma amiga de faculdade minha que pagava de hétero e nós pegávamos as vezes, quando comecei a ver que estava gostando de mais da Arls a Larls se reaproximou bastante de mim (até então a Larls era única menina da regiam que eu tinha me envolvido sentimentalmente mesmo) um belo dia eu postando stores com a Larls a Arls parou de me seguir, dai eu vi que tinha magoado ela e me senti um lixo, nesse dia eu vi que estava apaixonada (nunca disse isso a ela) mas não conseguia mas “dormir” com a Larls, logo ela viu isso é tbm me mandou ir atrás da Arls, dai pra frente amores foi meu desande e descordai. Tentei me reaproximar dela mas ela sempre grossa me cortava sempre tentava me afastar, de todo jeito possível, mas de alguma forma eu vez ou outra conseguia dobrar ela e era perfeito noites lindas que sinto falta. Isso durou meses ela nunca mudava sempre me rebaixando e webs namoradas e tentando fazer de tudo pra me magoar. Eu permaneci até um dia cansar, e tentar ficar com outra pessoa agora serio sem tudo isso, ela me viu com essa guria e me mandou foto mal, adivinha quem foi no outro dia atrás? É eu mesma, foi mais uma das noites bonitinhas e perfeitas parecia até que tinhamos “voltado” . Não durou muito depois disso voltou tudo, mas ela ainda me chamava pra ir ver ela as vezes, até que um dia bebada em rolê (nosso grupo de amigos é o mesmo), a conheci uma guria e fiquei foda-se tava magoada e tals, advinha se não chegou na Alrs? E ai só piorou tudo. Nunca tinha dito oque sentia por ela por ela me tratar mal não queria ser piada na roda de amigos esses dias pra trás eu bebada acabei falando oque eu sentia pra ela ela por sua vez, demonstrou pena e disse que tava web namorado a 3 dias e queria que isso dela desse certo (detalhe a gente tinha se beijado 40 minutos antes). Fiquei triste mas aceitei afinal já esperava que ela não gostasse de mim, final de semana fui na casa dela buscar minha guitarra (Ps: havia sonhado com meu ex boy abusivo e ela uma semana anterior a eu ir na casa dela a semana toda, morro de medo desse guri quero ele longe), e adivinha né fiquei mais doque devia dormimos juntas. E ela com vídeo chamada com a web mina dela seila oque, no outro dia de manhã ela me acorda dizendo que a prima da guria amiga dela que tinha adotado uns cachorros dela tava lá pra mostrar os filhotes, ela me disse pra não sair do quarto e eu perguntei porque, ela disse que tinha acabado de descobrir que o boy da menina era o meu ex boy doido. Ela fingiu demência e foi brincar com os dogs e eu fiquei em estado de choque dentro da casa “me deu crise de ansiedade e pânico” sozinha enquanto eles confraternizavam tranquilamente, eu sem bateria no cel e sem dinheiro pra ir embora. Ela entrou depois de um tempão e olhou nos meus olhos e me perguntou. “Tem certeza que ele te batia? Ele parece ser legal.” De todas as coisas que ela tinha me dito e feito essa foi a que mais me feriu, depois disso ficou do meu lado dizendo por video chamada sobre como queria chupar a web namorada, e a minha carona não chegava, (Ps: não moro mais perto dela tipo do outro lado da cidade) aqui não tem ônibus e mesmo que tivesse tava sem grana só cartao, aqui não tem uber nem os moto táxi não aceitam cartão e era domingo, ou seja tava presa ali, tudo aquilo tava me matando eu fui pro quarto dela escondida chorar tipo muito, até que ela me mandou msg pra me falar pra ir embora, disse que pagava e tudo que não me queria ali mais, meu celular acabou a bateria não consegui avisar quem ia me buscar que eu ia sair daí mas mesmo assim, levantei chorando peguei minha guitarra e atravessei a cidade toda com a guitarra nas costas chorando. Infelizmente ainda esqueci minha blusa lá e vim embora com a roupa dela. Minha carona meu amigo me achou na rua chorando ele tava desesperado tadinho, dai fiquei bad sumi de tudo whats, insta, durante uns 4 dias, (isso tudo foi no domingo) depois de um tempo voltei e no outro final de semana descobri que na terça-feira (dois dias que eu tava sumida de tudo) ela havia trocado de numero e na quinta me “silenciado” no Instagram, crente que eu ia atrás dela. Não fui,nem iria, nem vou, pois dessa vez eu fiquei muito magoada com oque escutei dela mesmo tendo ela visto tudo que viu e apesar de gostar muito dela é isso não passou até hj. Cansei disso tudo... Não vi mais ela depois disso tudo nem sei se verei (toda vez que nos víamos era um climão bizarro sempre acabava na cama dela ou atracada em um canto) por enquanto permaneço firme, mas magoada e com saudades ao mesmo tempo. Queria muito que tivesse dado certo mas enfim, gosto muito dela talvez ela nem saiba e nem vai saber se o Luba ler pq ela odeio YouTubers em geral então é isso. E ai eu fui a babaca?
submitted by Lariplush to TurmaFeira [link] [comments]


2020.01.21 15:25 St_Potatoes Tentando me conformar com o fato de que vou ser o cuidador dos meus pais

Minha família consiste de meus pais (65M e 61F), minha irmã (40F) que mora em outra cidade e tem casa própria e eu (30M). Saí de um relacionamento estável ano passado por N motivos que não convém falar aqui mais uma vez nesse post, mas morava com minha namorada e o sogro e uma das coisas que eu não suportava era ter mais de 70% da minha renda indo pra aluguel e outras despesas. Enfim, voltei pra minha cidade natal, moro com meus pais, consegui um emprego e decidi aos poucos fazer pequenas coisas pela casa, como economizar para ajudar na troca de um carro, contratar uns caras pra fazer reformas pequenas na casa e etc.

O Foda é que meus pais têm a saúde muito debilitada, por anos e anos de tabagismo (os dois) e alcoolismo (só o meu pai). O tempo é uma coisa engraçada porque eu consigo me lembrar da época em que os dois eram meu núcleo familiar e a maioria das coisas que podíamos fazer e lugares em que íamos eram determinadas pelos dois. Hoje em dia, eu dirijo o carro, faço as compras e recentemente até cozinho para a casa. O que em si não é lá tão problemático, tenho uma vida muito mais confortável financeiramente do que morando de aluguel em outra cidade.

Agora, meu pai já teve um avc e um ataque cardíaco, não consegue andar cinco quadras a pé, tem episódios de vertigem, náusea e indigestão. Mas ele é da geração pra quem EPI é frescura, cinto de segurança é coisa de viado e ir no médico é perda de tempo. Não consegue ficar UM MÍSERO DIA sem beber, mesmo quando parece que vai desfalecer. Minha mãe caiu esses dias e parecia uma coisa leve, mas fomos no hospital e um raio x revelou que ela trincou um osso e precisou imobilizar. Also, ela fuma todo dia sem falta e não consegue parar, mesmo indo dormir e acordando tossindo. Eles são muito novos pra terem todos os problemas de saúde que tem, conheço muitas pessoas na idade deles que são mil vezes mais sólidos.

Então é isso, desabafos. Vou vendo a saúde deles se deteriorando aos poucos. Moro num quarto pequeno e com cama de solteiro, não tenho a coragem de conhecer e trazer nenhuma mulher pra cá, morando com meus pais. Minha irmã tem sua casa e sua vida, não a invejo, mas eu sinto que saltei do ônibus num momento errado e agora estou preso, e vou ficar preso nessa situação. Pode ser egoísmo pensar assim, afinal meus pais me deram a vida, me criaram e etc e tal, nada mais justo do que eu cuidar deles agora que a saúde está frágil. Mas o tempo passa pra mim também, e cada vez mais eu vejo ficar longe o sonho de casar, ter filhos, ter um sítio ou coisa parecida.
Also, eu sei dentro de mim que essa situação é passageira, que eu tenho família e amigos, que mesmo que eu tenha 40 ou 50 anos eu posso casar e ter filhos e um sítio, e que é preciso viver no presente. Mas ao mesmo tempo, eu sentia necessidade de fazer esse desabafo.

tl;dr moro com meus pais e sinto que vou cuidar deles pelo resto da vida deles, e eles não se cuidam apesar de serem novos ainda
submitted by St_Potatoes to desabafos [link] [comments]


2019.11.26 17:33 Gustavo1456 Preciso da ajuda da comunidade!

Bom dia galera! Eu venho aqui humildemente pedir ajuda pra vcs para o presente supresa para a minha namorada,este foi um ano bem difícil pra ela, muito mesmo,e eu queria fazer algo especial e pra isso eu venho aqui pedir a ajuda de vcs para que este presente se torne realidade +Eu queria que vcs pegassem um post-it ou um papel pequeno e escrevessem (todo mundo aqui em (o lugar aonde vcs estão) sabe que Lara vai conquistar o mundo!) Tirar a foto do papel em algum lugar bonito ou se puder turístico. Eu tenho poucos contatos de gente de fora então qualquer ajudar que vcs poderem dar pra mim e pra ajudar nesse presente eu serei muito grato,e se como tá perto do Natal se chegar a 50 fotos de vários lugares podendo ser fora do Brasil tbm eu vou doar 20 cestas básicas e postar aqui tbm como resultado
submitted by Gustavo1456 to brasil [link] [comments]


2019.10.14 23:53 theritualmurder Estudante universitário a viver nos Estados Unidos.

Bem, olá a todos.
Se querem que vos seja sincero, não sei bem a razão pela qual estou a escrever este post. Um dos motivos pode dever-se ao facto de sentir que estou a perder a conexão com o meu querido país. Sinto-me menos Português a cada dia que passa e isso deixa-me infeliz.
Vim para os EUA há 2 anos em virtude de o meu pai ter arranjado um bom emprego numa universidade local (Lehigh University, PA). No início a excitação era extrema. Estava bastante feliz e desejoso de começar uma vida nova. O primeiro ano aqui foi a fazer o 12 ano do secundário. Esse ano passou bastante rápido uma vez que estava ocupado a conhecer o pessoal todo e a zona. Há dois meses começou a universidade e este período tem sido bastante difícil para mim. Apesar de me ter adaptado bastante bem a este país, sinto que não pertenço. Estou nostálgico e tenho saudades.
Custa-me ver o meu grupo de amigos prosseguir as suas vidas de estudantes sem mim. Sinto que uma fase bastante importante da minha vida está a ser perdida, estudante Universitário em Portugal. Quero vestir o traje, quero ser praxado, quero apanhar a buba na latada e queima. Todos os dias penso nos meus amigos, na minha ex-namorada e no fim do nosso namoro devido aos EUA. Penso nos meus avós e odeio-me por não estar presente nos últimos anos das suas vidas. Felizmente, posso ir a Portugal no Natal, verão, e na queima. Mas não é suficiente.
Eu sou Português e pertenço em Portugal. Ultimamente ando a pensar em voltar para Coimbra ou Lisboa no terceiro ano da universidade e ano a ver quais são as minhas possibilidades em termos de transferencia.
Estou a escrever isto para alguém que esteja na mesma situação, ou que a entenda, me dê algumas palavras de encorajamento e partilhe algumas historias e tal, ya know.
Até estou a perder algum vocabulário. Às vezes tenho que ir ao google traduzir palavras de Inglês para Português.
Edit: ultimately, estar aqui a fazer a universidade na Penn State abrirá mais portas para o futuro, e ter uma carreira aqui vai será melhor em termos financeiros, mas durante a universidade é demasiado difícil e um grande fardo na minha saúde mental.
submitted by theritualmurder to portugal [link] [comments]


2019.04.14 02:10 leitano Tratar orquideas

Tratar orquideas

https://preview.redd.it/5yd3kp3xe4s21.jpg?width=1300&format=pjpg&auto=webp&s=4d6473c1f0b321a2705a75be8006ff81e2ab5417
Olá, aqui é mais uma postagem do blo sobre orquideas e hoje iremos falar do que pode ser feito quando uma orquideas é recebida de presente por um namorado, uma namorada, um presente de natal, de São João, um presente de aniversário e muitos outros presentes.
O que iremos falar é sobre como tratar orquideas o que nós podemos fazer para que ela não murchem de maneira espontânea logo quando você recebe elas de presente. E para saber mais você deve colocar elas de maneira exatas no vaso.
Muitas pessoas recebem e não sabe o que fazer quando elas estão em seus lares e muitas acabam murchando.
E tudo que você precisa é se instruir, ler, ver vídeo de instrução e que acabarma com suas dúvidas pro resto de suas vidas quando o assunto forem as orquídeas. E para isso existe um ebook rico em conteúdo sobre as orquídeas e está quase de graça, o ebook é 100% digital, você quando compra ele não será enviado para sua casa.
Você compra e na mesma hora recebe um login e senha e acessa o conteúdo. Muito top e diferente... e o melhor é que você aprende e tira todas suas dúvidas. É impressionante.
Então é isso, abração e até a próxima.
submitted by leitano to u/leitano [link] [comments]


2019.01.18 00:36 lucius1309 A MORTE DE CARLOS REIS

Você vai ligar o botãozinho, o velho botãozinho novamente, o botãozinho do "Foda-se" e você acha isso sensacional, e algo totalmente plausível dentro dos recentes acontecimentos de sua vida um pouco bagunçada.
Não que eu recomende que você faça isso, mas eu te conheço há alguns anos e te disse que você seria assim pra sempre.
Pra sempre é muito tempo, eu sei disso também, mas a gente sabe que você não tem pressa nenhuma pra viver esse pra sempre. Pois de uns dez anos pra cá, tudo aconteceu rápido demais na sua vida, e todos os seus "sofrimentos" serviram de muletas pra essa par de merda que tu fez, destruindo a sua vida e das pessoas que estavam ao seu redor.
Porra Carlos, tu é foda, puta que te pariu!
Você nunca gostou de gente que xinga a tua mãe. Como naquela vez em que você tinha uns 8 anos de idade e um garotinho te chamou de filho da puta. Você quebrou um dente dele dando um soco direto. Sua mãe (que não era e não é puta), teve que ir pedir desculpas pra mãe do garotinho.
"Escuta dona Fulana, o Carlos não é assim, ele deve ter tido algum tipo de surto ou sei lá."
E após isso uma psicóloga te atendeu em duas sessões, você não abriu a boca em nenhuma das duas e acabou desistindo da porra toda.
Mas agora voltando pro presente que está melhor do que o passado e se tudo der certo, pior do que o futuro.
Seu estilinho de vida agora é todo certinho e elitizado, você anda na linha e é o dito "cidadão de bem", tudo está insanamente menos frenético e todos que te conheceram antes e te vêem agora inflam teu ego com elogios, o que só alimenta sua doença alcoólatra e te faz subir em cima de uma caixinha de fósforo achando que é poderoso o bastante por ser o cara que dá as ordens, e não as recebe mais.
Sendo que na essência, pra falar a verdade, você não passa do mesmo cara de antes, cheio de defeitos que você faz questão de esconder. Cheio de traumas que ainda são dolorosos o bastante pra ficarmos cutucando, não é? Raivas ainda não devidamente trabalhadas pela psicóloga linda que você paga 80 pratas a hora, duas vezes no mês, e que te fala tudo aquilo que você não quer ouvir. Mas que sabe que é verdade.
Hoje você esbanja, come o que quer e quando quer, vai pra onde quer quando lhe dá na telha, sem se preocupar com mais nada além de preencher um vazio deixado pela ausência dela, o amor da sua vida, a garrafa. Você talvez não esteja sabendo preencher esse vazio, já pensou nisso, Carlos Reis!? O homem de bem, ainda desorientado e confuso. Um mar de serenidade em situações de crise, apelidado inclusive como "Buda" por algumas pessoas pela frieza com que tem encarado os problemas. Mas ainda completamente fodido emocionalmente.
Eu só quero saber de uma coisa, se não for incomodar perguntar: onde está aquele Carlos Reis inconsequente, que colocava fogo nas coisas, que passava dias na rua fazendo besteiras, que chutava coisas e quebrava copos nos bares sujos, que brigava com estranhos e que dormia em calçadas, que andava sempre de chinelos e bermuda, sem pagar os impostos devidos, que não ia votar pois estava cheirado demais pra isso, que via o mundo girar mais rápido que os outros? Aquele que dizia que nunca ia aceitar as coisas como são, e que ia mudar o mundo com seus textos, e por isso, escrevia sem parar, avidamente madrugadas e madrugadas, textos de quinze a vinte páginas em menos de duas horas, bebendo 24/48, transando com mulheres que nunca mais veria, falando com amigos que não sabia nem o nome, se metendo em problemas todos os dias e se achando um grande gênio. Talvez, talvez, o mais novo escritor marginal, que iria revolucionar essa geração Nutella, formada principalmente de pessoas fracas demais pra assumirem seus medos e receios, focadas tanto nas telas dos celulares e tão pouco nos olhos daquela pessoa maravilhosa que mexe com essas pessoas. Não me surpreendo que sua covardia fez tu desistir de tudo isso de uma hora pra outra.
Nunca achei que você seria o bastante.
Afinal, você sempre foi tão pouco pra tudo. Sempre será. Sua intensidade é fraca demais. Sua vontade de vencer não é grande o bastante. Seus pais te criaram de uma maneira errada, e hoje você não os culpa, mas passou tantos anos os culpando, que agora está velho demais pra se arrepender por isso.
Talvez, só talvez, as pessoas estivessem sempre certas sobre você. Mesmo as mais críticas sempre souberam que você tem muita sede pra mudar muita coisa, mas acaba mantendo tudo do mesmo jeito. Seus comportamentos, seus modos de pensar e agir, sua respiração do dia a dia, suas idas caretas aos supermercados, suas camisetinhas de banda e seus jeans de marca, os tênis nike e o perfuminho da boticário, tudo isso tentando esconder o cara que tava até outra hora passando fome e pedindo moeda no farol.
Esse cara ainda tá aí, Carlos. Esse cara sempre vai estar, você vai ter que se olhar no espelho e ver ele. E aprender a viver com ele.
Seu passado e seu presente vão fazer o teu futuro.
Sem isso, você é apenas vazio. Um grande e belo vazio. Como aquele que você sempre sentiu, e ainda sente muitas vezes até hoje. Acordar cedo, lavar o rosto, tomar café e mudar o mundo não é tão simples quanto parece. E a pergunta que deixo é: será que é realmente isso que você quer pra sua vida? Mudar o mundo? Ou quer apenas sossego pra ir no mercado sem olhar os preços das coisas?
O que os caras que leem suas coisas há mais de 10 anos estão pensando? Que você afrouxou, de fato. O escritor durão das antigas que passava fome pra beber Corote está aos poucos morrendo. Você não terá mais muito material para os próximos cinco anos, se tiver sorte. Logo mais você vai ser mais um na multidão de muitos. O engomadinho indo na prefeitura pagar os impostos de uma empresa. O homem de negócios que faz reuniões pra ver quanto lucro terá no fim do mês.
A paz de espírito que talvez nunca fosse alcançada, mas que agora parece cada vez mais próxima.
Um homem realizado, cheio de realizações.
Logo mais uma namorada, que vai se tornar uma esposa e mais uns dois filhos. Casa própria e viagem pra Maresias aos fins de semana. Europa no meio do ano e churrasco com a sogra no Natal. Tal como todos os caras que você sempre repudiou. Tal como os sujeitos mais medianos que você já conheceu. Tal como um sonho e um repúdio que você jamais pensou em alcançar.
Tal como o óbito.
Onde Carlos Reis estará morto e enterrado, e surgirá um outro cara, uma nova pessoa, com novo nome, CPF e endereço fixo. Novas maneiras de pensar e completamente ordinário e mediano. Os olhos ávidos com vida, mas não tão inconsequentes. O rosto cheio de rugas depois de tantos sofrimentos e superações. Um exemplo pra alguns, um eterno bêbado pra outros. Tanto faz. Tanto fez sempre, mas agora, de verdade, tanto faz.
E esse texto será apagado e esquecido junto com vários outros. Não haverá memorial e nem homenagem. Tudo será então um grande vazio. O mesmo vazio que te fez começar com essa porra de escrita há 14 anos atrás. O mesmo vazio que vai te fazer se cansar dela (a escrita) e buscar novos hobbies.
E as frases ficarão jogadas em algum canto, pedindo por um sentido. E você, Carlos, não fará nada quanto a isso. Pois estará morto. E o novo homem que vai surgir não dá a mínima pra isso. Nem a mínima pra esse texto.
submitted by lucius1309 to desabafos [link] [comments]


2019.01.09 23:19 rockie1d Acabei de perder a minha mãe aos 17 anos.

Boas! Isto aqui vai ser uma espécie de desabafo, desde já peço desculpa pois não sou nenhum expert no Reddit então se isto tiver algum erro ou estiver mal formatado peço desculpa..
A minha mãe já estava a sofrer há muito tempo então isto não foi nenhuma surpresa, foi sim surpresa quando cheguei ao Hospital pronto para a ver após uma complicada cirurgia e ela já estava completamente apagada, ligada às máquinas e o médico disse que não iria passar desta noite... Não me despedi dela enquanto viva e dói me muito.
O que mais me dói não foi ver ela partir pois ela já sofria há bastante tempo mas foi sim saber que vou ter a minha vida toda a minha frente e ela não vai estar lá para a assistir, este ano é um dos mais importantes da minha vida, tenho os exames finais, acabo a escola, vou para a universidade, vou a uma viagem fora do País em visita de estudo, viagem de finalistas, tirar a carta de condução, simplesmente fazer 18 anos, eu já tinha prometido a mim mesmo que quando tivesse a carta a ia levar a jantar fora todas as semanas.... Não consegui. Além disto nunca lhe vou poder apresentar lhe uma namorada, não me vai ver a casar, a ter netos, não vai estar mais presente em mais nenhum jantar de festas, Natal, Ano Novo...
Neste momento não tenho motivação para nada mal entro num quarto com uma foto dela vêm me as lágrimas aos olhos, doeu também muito á minha família, ela tem 4 irmãs e várias amigas que se emocionaram e muito no funeral... Eu chorei tudo no Hospital e sei que se ela estivesse a ver "berrava me" logo se estivesse a chorar, ela sofreu muito mas nunca a vi a chorar na minha vida.
O meu Pai está muito mais calmo, ele já sabia o que aí vinha e até encara isto como uma coisa positiva pois sabe que ela não sofrerá mais.. Como já disse também levo isso pela positiva mas não deixa de doer nem um bocadinho... Ele diz que ao voltar a minha rotina e mover a vida para a frente a dor vai acabar por passar, eu não sei, neste momento não tenho vontade de viver nem um bocado, não tenho motivação para nada.
Em conclusão digo que isto foi desabafo escrito agora no meu telemóvel sem pensar, e aconselho a todos os que têm os vossos pais ou pessoas muito próximas de vocês a estarem com elas e agradecerem todos os dias por essas mesmas pessoas.
Obrigado e desculpem qualquer erro.
Edit: Obrigado a todos os que puderam deixar uma mensagem e alguns conselhos nem que pequenos que me fizeram ser mais corajoso e levar a minha vida para a frente! Certamente irei fazer isto e tentarei me tornar numa pessoa que a minha mãe se orgulhe no futuro, não tenho dúvidas que apesar de não estar presente ela está me a vigiar, obrigado também a todos os que me enviaram mensagem privada, e que me deixaram desabafar com eles, dentro de alguns meses tentarei fazer um post ao estilo de um update para saberem como tenho passado, todas as dificuldades que tive e como as enfrentei, mais uma vez obrigado a todos :)
submitted by rockie1d to portugal [link] [comments]


2018.11.13 13:35 Dinohobby Pediram para eu postar aqui também. Traduzi o texto famoso do filho incel do r/self "My son is a hateful incel, and I just cannot save him or defend him anymore."

link original pra quem quiser: https://www.reddit.com/self/comments/9vs05k/my_son_is_a_hateful_incel_and_i_just_cannot_save/

Meu garoto, meu filho mais velho, era tão bom quando pequeno, mas algo dentro dele quebrou quando ele era adolescente.
Minha esposa e eu sempre aceitamos, amamos e encorajamos ele. Nós o ensinamos a trabalhar duro e tratar as pessoas com respeito. Eu não sei onde exatamente nós falhamos com ele, mas como um pai eu me sinto responsável pelo que ele se tornou.
Começou quando ele tinha 14 anos. Ele tinha começado a se tornar recluso e emocional. Nós julgamos que era apenas as alterações de humor da adolescência. Por algum motivo ele era irritadiço e amargo o tempo todo. Nós estávamos preocupados com sua falta de vida social e sua dependência de seu computador. Ele meio que se escondia no mundo online então eu e minha esposa começamos a limitar seu tempo no computador, mas isso só o tornou mais agressivo e confrontador.
Sua higiene era ruim, e ele sempre nos confrontava quando pedíamos para que tomasse um banho ou lavasse suas roupas. Seu quarto fedia e eventualmente tivemos uma grande briga quanto a isso, onde ele acabou empurrando minha mulher e xingando-a de vadia. Finalmente conseguimos o fazer limpar e deixar entrar ar em seu quarto regularmente, justificando que a casa era nossa e que se ele não conseguia manter seu espaço em dia então não teria direito a tê-lo – essencialmente chegamos ao ponto em que nós dissemos a ele que não teria posse de suas coisas nem privacidade a menos que cuidasse do espaço que todos nós dividimos. O quarto ainda tinha um cheiro terrível e ele continuava sendo rude quanto a limpeza, mas ao menos nós podíamos falar para ele limpar e ele o faria.
Nós acabamos recebendo uma ligação de sua escola dizendo que uma estudante se sentia abusada por ele. Nos mostraram mensagens onde ele continuava repetindo para ela transar com ele, ameaçando “punir” ela por ter um relacionamento com ele sem querer fazer isso, enviando nudes para ela contra a vontade dela, contando suas fantasias violentas e eventualmente se rebaixando para reclamações horríveis cheias de ódio sobre como ela era apenas mais uma “vadia” e outras coisas.
Nós ficamos chocados. Nós explicamos para ele o porquê desse comportamento ser inaceitável, e eu disse que não havia problema em ser sexualmente ativo, mas que suas ações eram tóxicas e abusivas.
Eu tentei orienta-lo de homem para homem, levando ele para viagens de acampamento e coisas parecidas, além de falar com ele sobre garotas e mulheres e tentando dar dicas para ele. Eu sugeri para ele que tentasse tomar banho, mudasse o estilo de seu cabelo e pelos faciais, experimentasse roupas diferentes e talvez começasse a ir a uma academia.
Contei a eles algumas verdades doidas – que se ele não quer uma mulher nojenta ele não deve ser um homem nojento. Com homem nojento eu quis dizer higiene e aparência. Expliquei para ele que uma boa aparência é mais higiene e cuidado próprio que genética mas ele se recusou a aceitar o que eu disse.
Depois disso eu o peguei fungando as calcinhas de sua irmã na lavanderia – ele tinha 17 anos na época, e sua irmã 12 – ele me assegurou que isso não tinha nada a ver com sua irmã, e disse que ele apenas tinha um fetiche por cheirar calcinhas e que ele fingia que elas eram de garotas de vídeos pornô, mas ainda assim o fiz sentir o inferno por isso, deixando ele de castigo e sem seu computador por 6 meses. Eu acabei dando uma olhada em seu computador e fiquei enojado com os forums odiáveis, racistas e de incels (celibatários involuntários, homens que não conseguem ter relações sexuais e amorosas e culpam as mulheres e os homens sexualmente ativos por isso) que ele frequentava, as coisas horríveis que ele falava sobre mulheres, e arquivos salvos com pornô de desenhos com garotas de idade duvidável. Eu limpei o HD por completo e comecei a monitorar estritamente sua atividade online. Eu usei filtros parentais para bloquear sites de incels e pornôs que possuíam pornografia cartoonizada.
O próximo grande problema foi algo que ele fez com a amiga de minha filha. Minha filha é cinco anos mais nova que ele, e um dia depois de uma amiga dela ter vindo dormir em casa minha filha veio até mim e disse que essa amiga queria contar algo para mim mas estava com medo do que eu poderia falar.
Meu filho encurralou essa garota de 13 anos e fisicamente bloqueou o caminho, tocou seu cabelo e rosto enquanto fazia comentários inapropriados sobre seu corpo e perguntando se ela gostava de dormir nua e que tipo de roupas intima ela usava.
Eu rasguei com meu filho por isso, eu e minha esposa gritamos com ele, e dissemos que seu comportamento era horrível e falei que se seus atos o fizessem ser preso, eu não iria defendê-lo. Ele nos acusou de não ama-lo, mas eu disse que a razão para eu estar tão bravo com ele naquela situação era exatamente porque eu o amava, e que eu queria ajudar ele a se tornar um bom homem para que ele parasse de ser predatório, amargo e miserável. Eu contei algumas verdades duras. Que ele fez tudo isso a si mesmo e que ele é o único que ele pode culpar pelo quão amargo ele é.
Eu sugeri que ele procurasse por mulheres de sua idade e ele acabou reclamando que isso era uma perda de tempo pois mulheres já eram putas (e sua definição de puta é uma mulher que não é virgem) aos 17 anos. Eu chamei sua atenção por conta dessa merdalhada que ele disse e demonstrei claramente que se ele abusasse novamente de alguma garota jovem eu mesmo o denunciaria.
Eu convidei a amiga da minha irmã para vir em casa depois disso e pessoalmente pedi desculpas pelo ocorrido, eu chorei de vergonha pelo comportamento do meu filho e implorei por perdão por permitir que ela se sinta insegura em minha residência, além de prometer a ela que se ela a qualquer momento se sentisse desconfortável ela poderia vir até minha esposa e eu e nós sempre acreditaríamos e ajudaríamos ela. Por sorte, minha filha não perdeu essa amiga, mas por segurança eu instalei uma fechadura na porta de seu quarto.
Nós conseguimos uma terapia para meu filho mas ele se recusou a entrar em contato com o terapeuta, chamando ele de “árabe escroto”, “pajeet” e “terrorista”. Seu próximo terapeuta era um “chad” (chad, na cultura da internet, é um pau no cu estereotipado, com um ego do tamanho de um planeta que precisa de um chute no queixo, normalmente considerado o “babaca que elas correm atrás”) e portanto também não conseguir ir com a cara dele.
Nós brigamos com ele por não tentar, não conseguir um emprego e ele disse que não conseguia um por conta dos imigrantes, e eu acabei apontando que ele estava tendo dificuldades pois ele foi demitido de seus trabalhos do colégio por ser preguiçoso.
Depois dessas brigas, minha esposa tentou empatizar com ele e entender o que o tornou tão amargo, mas ele se virou contra ela, chamando ela de uma puta devoradora de rolas e disse que ela “fodeu” seu caminho por dezenas de homens até que ela encontrou um “viado beta” que estava disposto a dar um lar para ela em troca de sexo missionário.
Minha esposa, que trabalha e ajuda na renda familiar, que é uma mulher independente e profissional.
Honestamente eu perdi a mente nisso mais do que nunca. Eu nunca havia ficado tão bravo quanto quando eu ouvi o que ele disse. Ela pode ser a mãe dele, ele pode ser meu filho, mas a mulher que ele estava xingando e acabando era a porra da minha esposa. Ninguém fala assim da minha esposa.
Eu estou envergonhado de dizer que no meio da minha fúria ele me empurrou e eu retaliei fisicamente, empurrando ele de volta e colando ele na parede. Eu senti vergonha de mim mesmo. Eu nunca fui uma pessoa brava ou violenta, mas eu não pude me controlar. Eu nunca havia colocado minhas mãos em qualquer um dos meus filhos daquela forma em toda minha vida, eu odeio quem abusa de suas próprias crianças, mas esse garoto não era nenhuma criança. Ele era um homem crescido.
Ele ficou intimidado e recuou, e por um tempo ele ficou pacífico.
A gota d’água aconteceu essa semana.
Minha filha ficou com três pessoas em sua vida toda. Um garoto, uma garota e agora outro garoto. Nós sempre fomos abertos quanto a sexo com minha filha do mesmo jeito que éramos com meu filho. Nós perguntamos se ela gostaria de ter um estoque regular e sem questionamento de preservativos em sua gaveta no banheiro, e se ela gostaria de tomar anticoncepcionais. Ela disse não para as duas perguntas com seu primeiro namorado. Ela nunca o trouxe para casa, mas chegamos a encontrar ele uma vez em um de seus recitais. Quando ela teve uma namorada ela ia para a casa dela direto, e não queria trazer ela para a mesma casa que seu irmão morava, um sentimento que eu entendia.
Mas seu mais recente namorado tinha muita coisa acontecendo por trás em sua família. Ele é um bom garoto mas sua mãe é uma mãe solteira de quatro filhos e sofria bastante por isso.
Esse garoto começou a frequentar nossa casa mais ou menos um mês depois deles se juntarem. Eu gosto dele, minha filha é feliz com ele, ele trata ela com respeito, é inteligente e um absoluto cavalheiro. Ele é respeitoso e educado em nossa casa, ele me chama de senhor, minha esposa de madame e oferece ajuda para cozinhar e lavar a louça ou até mesmo limpar a casa quando ele visita. Ele conversa com a gente, é meio que um cozinheiro amador e trás comida para nós o tempo todo para agradecer os nossos cuidados a ele. Quando nós saímos para jantar ele sempre oferece pagar para ele e minha filha (mas eu sei que ele não tem muito dinheiro então eu pago para ele). Quando saímos do carro ele sempre abre a porta para minha esposa e oferece a mão dele para ajudar ela a descer. Ele segura as portas, quando saímos para algum lugar ele ajuda minha filha a colocar a jaqueta como naqueles casais doces e tradicionais.
Esse jovem trabalha duro, e dá o pouco que tem para sua mãe e irmãos. Como eu disse, eu realmente respeito o garoto. Eu ofereci dinheiro para ele uma vez para que fizesse compras para sua família mas ele recusou e disse que se sentiria culpado por aceitar meu dinheiro daquele jeito. Ele aprecia as coisas – no inverno, estava -20 graus e ele tinha apenas uma roupa com capuz, então eu enrolei minha jaqueta em seus braços e disse “tome, garoto, está frio”. Ele encheu os olhos de lágrimas e agradeceu, e eu dei alguma desculpa sobre querer me livrar da jaqueta e disse que ele poderia ficar com ela se ele trouxesse alguns biscoitos a próxima vez que nos visitasse.
Quando o Natal chegou, eu o convidei para a ceia, e quando eu fui buscar ele eu deixei alguns presentes para sua família, e no caminho de volta para minha casa nós tivemos um momento. Ele estava chorando, pois não tinha muito o que dar para nós – ele deu um presente para todos nós em casa mas chorou mesmo assim pois sentiu que não era o suficiente considerando o que eu fiz por ele. Eu encostei o carro, e o abracei, dizendo que não importava o valor do que ele nos dava, mas sim que ele nos deu algo afinal. Eu agradeci ele por tratar minha filha tão bem, e eu disse que ele era sempre bem vindo em nossa casa.
Meu próprio filho não tinha nos dado nada de natal, nem mesmo um cartão ele comprou com o dinheiro que nós demos a ele. Esse garoto deu para minha esposa e a mim taças de vinho que combinavam visto que nós gostamos de dividir uma garrafa de vez em quando.
Meu filho não comeu com a gente. Ele pegou a comida da mesa e correu de volta ao seu quarto sozinho enquanto o namorado de minha filha conhecia minha irmã e sua família, meus pais e meu tio. Todos eles disseram que ele era charmoso e muito educado. Enquanto isso, depois da janta, meu filho disse para meu sobrinho de 5 anos “vaza daqui seu viado” por ter pedido para jogar algum jogo com ele. Um homem de mais de 20 anos.
Semana passada, minha esposa e eu ficamos fora uma tarde toda para aproveitar um tempo a sós. Nós fomos jantar, e então nós fomos para um bar para jogar um pouco de sinuca, e depois para casa.
Quando entrei em casa, os garotos estavam gritando uns com os outros. Eu corri e vi meu filho e o namorado de minha filha brigando. O namorado estava apenas empurrando e tentando redirecionar meu filho, meu filho estava socando e investindo contra ele. Minha filha estava chorando e sentada encostada à parede escondendo seu rosto. Eu entrei no meio deles e os separei, demandando uma explicação.
Meu filho começou um barraco falando sobre como ele achou anticoncepcionais e ouviu sons de “putaria” vindo de dentro do quarto dela, então ele arrombou a porta e encontrou eles transando, disse que não acreditava que sua irmã era uma “puta de um preto” e chamou o pobre coitado de macaco e outras coisas.Minha esposa levou minha filha e seu namorado para longe dali. Eu gritei com meu filho pelos seus atos. Eu não consegui chegar a lugar nenhum com ele então fiz ele esperar em seu quarto. Eu fui falar com minha filha. Pedi desculpas para seu namorado, chorando enquanto eu o fazia, dizendo que eu esperava que ele me perdoasse por deixar isso acontecer. Ele disse que ele estava arrependido de ter ficado violento, mas disse que só ficou pois meu filho bateu em sua namorada. Minha filha chorou e disse que seu irmão era um psicopata e a ameaçou de estupro, e que ele admitiu já ter gozado em sua escova de dentes e de cabelo.
Eu corri para o quarto dele, e disse firmemente que ele tinha que pegar suas coisas e sair. Eu disse que pagaria para ter suas coisas enviadas a ele, para onde ele fosse, mas que ele iria embora amanhã.
Minha esposa ficou na casa das minhas irmãs, e minha filha e seu namorado ficaram na casa dele por algumas noites.
No dia seguinte eu praticamente atirei meu filho para fora de casa enquanto ele gritava e chutava.
Eu tomei sua chave e mudei a senha do alarme e da porta da garagem. Um dia depois eu recebi uma mensagem requisitando que algumas de suas coisas – quase tudo seus jogos – sejam enviadas para um prédio estranho que eu não reconheci a algumas cidades daqui. Um homem aparentemente da idade de colegial tocou a campainha e eu entreguei as coisas a ele. Eu não vi meu filho.
Minha esposa e eu fomos até seu quarto. O namorado da minha filha veio em casa e ajudou a mover os móveis para a garagem. Nós jogamos fora seu colchão e outras coisas nojentas e fedidas, além de retirarmos e substituirmos o carpete.
Escondido em seu armário estava um monte de calcinhas da minha filha, tão saturadas com bolor e sêmen velho que estavam tão duras quanto tijolos. Talvez a pior parte seja que existiam algumas que minha filha jurava não ser dela, além de serem pequenas demais para serem da minha esposa. É possível que ele tenha roubado de minhas sobrinhas.
Tinha até mesmo um caderno contendo desenhos explícitos do meu filho estuprando violentamente várias mulheres e mantendo garotas pequenas acorrentadas em algum tipo de “calabouço sexual”. Eu mexi em seu celular antigo que ainda estava funcionando, e todas suas fotos eram screenshots de minhas sobrinhas e suas amigas usando biquínis, muitos pornôs de cartoons, muitos memes de incell, Trump e red pill (red pill, vinda do filme Matrix onde Morpheus oferece uma pílula vermelha para Neo, o fazendo acordar, é um termo na internet usada entre conservadores e apoiadores do Trump para explicar quando uma pessoa acordou de uma vida de doutrinação esquerdista). Ele ainda tinha o messenger, então eu chequei suas mensagens, a maioria delas era apenas ele tentando abusar de mulheres e garotas menores de idade.
Eu dei uma olhada em seu e-mail e, para meu desgosto, ele roubou fotos privadas da minha esposa de seu celular, e estava vendendo elas.
Hoje eu fui até a polícia com tudo que eu tinha e contei tudo que sabia.
Eu dei ao meu garoto tudo... Eu não sei porque ele acabou nesse caminho. Eu sou muito arrependido de ter falhado com ele. Eu não sei o que a polícia fará, mas espero que eles parem ele antes que ele machuque mais alguém.
A coisa mais triste é que, ontem, depois que tudo tinha terminado e acalmado, foi um dia maravilhoso. Um dos dias mais felizes que já tivemos.




É isso, se alguém quiser que eu altere alguma coisa é só falar, os edits são para isso


submitted by Dinohobby to brasilivre [link] [comments]


2018.11.13 03:45 Dinohobby Traduzi o texto famoso do filho incel do r/self "My son is a hateful incel, and I just cannot save him or defend him anymore."

link original pra quem quiser: https://www.reddit.com/self/comments/9vs05k/my_son_is_a_hateful_incel_and_i_just_cannot_save/

Meu garoto, meu filho mais velho, era tão bom quando pequeno, mas algo dentro dele quebrou quando ele era adolescente.
Minha esposa e eu sempre aceitamos, amamos e encorajamos ele. Nós o ensinamos a trabalhar duro e tratar as pessoas com respeito. Eu não sei onde exatamente nós falhamos com ele, mas como um pai eu me sinto responsável pelo que ele se tornou.
Começou quando ele tinha 14 anos. Ele tinha começado a se tornar recluso e emocional. Nós julgamos que era apenas as alterações de humor da adolescência. Por algum motivo ele era irritadiço e amargo o tempo todo. Nós estávamos preocupados com sua falta de vida social e sua dependência de seu computador. Ele meio que se escondia no mundo online então eu e minha esposa começamos a limitar seu tempo no computador, mas isso só o tornou mais agressivo e confrontador.
Sua higiene era ruim, e ele sempre nos confrontava quando pedíamos para que tomasse um banho ou lavasse suas roupas. Seu quarto fedia e eventualmente tivemos uma grande briga quanto a isso, onde ele acabou empurrando minha mulher e xingando-a de vadia. Finalmente conseguimos o fazer limpar e deixar entrar ar em seu quarto regularmente, justificando que a casa era nossa e que se ele não conseguia manter seu espaço em dia então não teria direito a tê-lo – essencialmente chegamos ao ponto em que nós dissemos a ele que não teria posse de suas coisas nem privacidade a menos que cuidasse do espaço que todos nós dividimos. O quarto ainda tinha um cheiro terrível e ele continuava sendo rude quanto a limpeza, mas ao menos nós podíamos falar para ele limpar e ele o faria.
Nós acabamos recebendo uma ligação de sua escola dizendo que uma estudante se sentia abusada por ele. Nos mostraram mensagens onde ele continuava repetindo para ela transar com ele, ameaçando “punir” ela por ter um relacionamento com ele sem querer fazer isso, enviando nudes para ela contra a vontade dela, contando suas fantasias violentas e eventualmente se rebaixando para reclamações horríveis cheias de ódio sobre como ela era apenas mais uma “vadia” e outras coisas.
Nós ficamos chocados. Nós explicamos para ele o porquê desse comportamento ser inaceitável, e eu disse que não havia problema em ser sexualmente ativo, mas que suas ações eram tóxicas e abusivas.
Eu tentei orienta-lo de homem para homem, levando ele para viagens de acampamento e coisas parecidas, além de falar com ele sobre garotas e mulheres e tentando dar dicas para ele. Eu sugeri para ele que tentasse tomar banho, mudasse o estilo de seu cabelo e pelos faciais, experimentasse roupas diferentes e talvez começasse a ir a uma academia.
Contei a eles algumas verdades doidas – que se ele não quer uma mulher nojenta ele não deve ser um homem nojento. Com homem nojento eu quis dizer higiene e aparência. Expliquei para ele que uma boa aparência é mais higiene e cuidado próprio que genética mas ele se recusou a aceitar o que eu disse.
Depois disso eu o peguei fungando as calcinhas de sua irmã na lavanderia – ele tinha 17 anos na época, e sua irmã 12 – ele me assegurou que isso não tinha nada a ver com sua irmã, e disse que ele apenas tinha um fetiche por cheirar calcinhas e que ele fingia que elas eram de garotas de vídeos pornô, mas ainda assim o fiz sentir o inferno por isso, deixando ele de castigo e sem seu computador por 6 meses. Eu acabei dando uma olhada em seu computador e fiquei enojado com os forums odiáveis, racistas e de incels (celibatários involuntários, homens que não conseguem ter relações sexuais e amorosas e culpam as mulheres e os homens sexualmente ativos por isso) que ele frequentava, as coisas horríveis que ele falava sobre mulheres, e arquivos salvos com pornô de desenhos com garotas de idade duvidável. Eu limpei o HD por completo e comecei a monitorar estritamente sua atividade online. Eu usei filtros parentais para bloquear sites de incels e pornôs que possuíam pornografia cartoonizada.
O próximo grande problema foi algo que ele fez com a amiga de minha filha. Minha filha é cinco anos mais nova que ele, e um dia depois de uma amiga dela ter vindo dormir em casa minha filha veio até mim e disse que essa amiga queria contar algo para mim mas estava com medo do que eu poderia falar.
Meu filho encurralou essa garota de 13 anos e fisicamente bloqueou o caminho, tocou seu cabelo e rosto enquanto fazia comentários inapropriados sobre seu corpo e perguntando se ela gostava de dormir nua e que tipo de roupas intima ela usava.
Eu rasguei com meu filho por isso, eu e minha esposa gritamos com ele, e dissemos que seu comportamento era horrível e falei que se seus atos o fizessem ser preso, eu não iria defendê-lo. Ele nos acusou de não ama-lo, mas eu disse que a razão para eu estar tão bravo com ele naquela situação era exatamente porque eu o amava, e que eu queria ajudar ele a se tornar um bom homem para que ele parasse de ser predatório, amargo e miserável. Eu contei algumas verdades duras. Que ele fez tudo isso a si mesmo e que ele é o único que ele pode culpar pelo quão amargo ele é.
Eu sugeri que ele procurasse por mulheres de sua idade e ele acabou reclamando que isso era uma perda de tempo pois mulheres já eram putas (e sua definição de puta é uma mulher que não é virgem) aos 17 anos. Eu chamei sua atenção por conta dessa merdalhada que ele disse e demonstrei claramente que se ele abusasse novamente de alguma garota jovem eu mesmo o denunciaria.
Eu convidei a amiga da minha irmã para vir em casa depois disso e pessoalmente pedi desculpas pelo ocorrido, eu chorei de vergonha pelo comportamento do meu filho e implorei por perdão por permitir que ela se sinta insegura em minha residência, além de prometer a ela que se ela a qualquer momento se sentisse desconfortável ela poderia vir até minha esposa e eu e nós sempre acreditaríamos e ajudaríamos ela. Por sorte, minha filha não perdeu essa amiga, mas por segurança eu instalei uma fechadura na porta de seu quarto.
Nós conseguimos uma terapia para meu filho mas ele se recusou a entrar em contato com o terapeuta, chamando ele de “árabe escroto”, “pajeet” e “terrorista”. Seu próximo terapeuta era um “chad” (chad, na cultura da internet, é um pau no cu estereotipado, com um ego do tamanho de um planeta que precisa de um chute no queixo, normalmente considerado o “babaca que elas correm atrás”) e portanto também não conseguir ir com a cara dele.
Nós brigamos com ele por não tentar, não conseguir um emprego e ele disse que não conseguia um por conta dos imigrantes, e eu acabei apontando que ele estava tendo dificuldades pois ele foi demitido de seus trabalhos do colégio por ser preguiçoso.
Depois dessas brigas, minha esposa tentou empatizar com ele e entender o que o tornou tão amargo, mas ele se virou contra ela, chamando ela de uma puta devoradora de rolas e disse que ela “fodeu” seu caminho por dezenas de homens até que ela encontrou um “viado beta” que estava disposto a dar um lar para ela em troca de sexo missionário.
Minha esposa, que trabalha e ajuda na renda familiar, que é uma mulher independente e profissional.
Honestamente eu perdi a mente nisso mais do que nunca. Eu nunca havia ficado tão bravo quanto quando eu ouvi o que ele disse. Ela pode ser a mãe dele, ele pode ser meu filho, mas a mulher que ele estava xingando e acabando era a porra da minha esposa. Ninguém fala assim da minha esposa.
Eu estou envergonhado de dizer que no meio da minha fúria ele me empurrou e eu retaliei fisicamente, empurrando ele de volta e colando ele na parede. Eu senti vergonha de mim mesmo. Eu nunca fui uma pessoa brava ou violenta, mas eu não pude me controlar. Eu nunca havia colocado minhas mãos em qualquer um dos meus filhos daquela forma em toda minha vida, eu odeio quem abusa de suas próprias crianças, mas esse garoto não era nenhuma criança. Ele era um homem crescido.
Ele ficou intimidado e recuou, e por um tempo ele ficou pacífico.
A gota d’água aconteceu essa semana.
Minha filha ficou com três pessoas em sua vida toda. Um garoto, uma garota e agora outro garoto. Nós sempre fomos abertos quanto a sexo com minha filha do mesmo jeito que éramos com meu filho. Nós perguntamos se ela gostaria de ter um estoque regular e sem questionamento de preservativos em sua gaveta no banheiro, e se ela gostaria de tomar anticoncepcionais. Ela disse não para as duas perguntas com seu primeiro namorado. Ela nunca o trouxe para casa, mas chegamos a encontrar ele uma vez em um de seus recitais. Quando ela teve uma namorada ela ia para a casa dela direto, e não queria trazer ela para a mesma casa que seu irmão morava, um sentimento que eu entendia.
Mas seu mais recente namorado tinha muita coisa acontecendo por trás em sua família. Ele é um bom garoto mas sua mãe é uma mãe solteira de quatro filhos e sofria bastante por isso.
Esse garoto começou a frequentar nossa casa mais ou menos um mês depois deles se juntarem. Eu gosto dele, minha filha é feliz com ele, ele trata ela com respeito, é inteligente e um absoluto cavalheiro. Ele é respeitoso e educado em nossa casa, ele me chama de senhor, minha esposa de madame e oferece ajuda para cozinhar e lavar a louça ou até mesmo limpar a casa quando ele visita. Ele conversa com a gente, é meio que um cozinheiro amador e trás comida para nós o tempo todo para agradecer os nossos cuidados a ele. Quando nós saímos para jantar ele sempre oferece pagar para ele e minha filha (mas eu sei que ele não tem muito dinheiro então eu pago para ele). Quando saímos do carro ele sempre abre a porta para minha esposa e oferece a mão dele para ajudar ela a descer. Ele segura as portas, quando saímos para algum lugar ele ajuda minha filha a colocar a jaqueta como naqueles casais doces e tradicionais.
Esse jovem trabalha duro, e dá o pouco que tem para sua mãe e irmãos. Como eu disse, eu realmente respeito o garoto. Eu ofereci dinheiro para ele uma vez para que fizesse compras para sua família mas ele recusou e disse que se sentiria culpado por aceitar meu dinheiro daquele jeito. Ele aprecia as coisas – no inverno, estava -20 graus e ele tinha apenas uma roupa com capuz, então eu enrolei minha jaqueta em seus braços e disse “tome, garoto, está frio”. Ele encheu os olhos de lágrimas e agradeceu, e eu dei alguma desculpa sobre querer me livrar da jaqueta e disse que ele poderia ficar com ela se ele trouxesse alguns biscoitos a próxima vez que nos visitasse.
Quando o Natal chegou, eu o convidei para a ceia, e quando eu fui buscar ele eu deixei alguns presentes para sua família, e no caminho de volta para minha casa nós tivemos um momento. Ele estava chorando, pois não tinha muito o que dar para nós – ele deu um presente para todos nós em casa mas chorou mesmo assim pois sentiu que não era o suficiente considerando o que eu fiz por ele. Eu encostei o carro, e o abracei, dizendo que não importava o valor do que ele nos dava, mas sim que ele nos deu algo afinal. Eu agradeci ele por tratar minha filha tão bem, e eu disse que ele era sempre bem vindo em nossa casa.
Meu próprio filho não tinha nos dado nada de natal, nem mesmo um cartão ele comprou com o dinheiro que nós demos a ele. Esse garoto deu para minha esposa e a mim taças de vinho que combinavam visto que nós gostamos de dividir uma garrafa de vez em quando.
Meu filho não comeu com a gente. Ele pegou a comida da mesa e correu de volta ao seu quarto sozinho enquanto o namorado de minha filha conhecia minha irmã e sua família, meus pais e meu tio. Todos eles disseram que ele era charmoso e muito educado. Enquanto isso, depois da janta, meu filho disse para meu sobrinho de 5 anos “vaza daqui seu viado” por ter pedido para jogar algum jogo com ele. Um homem de mais de 20 anos.
Semana passada, minha esposa e eu ficamos fora uma tarde toda para aproveitar um tempo a sós. Nós fomos jantar, e então nós fomos para um bar para jogar um pouco de sinuca, e depois para casa.
Quando entrei em casa, os garotos estavam gritando uns com os outros. Eu corri e vi meu filho e o namorado de minha filha brigando. O namorado estava apenas empurrando e tentando redirecionar meu filho, meu filho estava socando e investindo contra ele. Minha filha estava chorando e sentada encostada à parede escondendo seu rosto. Eu entrei no meio deles e os separei, demandando uma explicação.
Meu filho começou um barraco falando sobre como ele achou anticoncepcionais e ouviu sons de “putaria” vindo de dentro do quarto dela, então ele arrombou a porta e encontrou eles transando, disse que não acreditava que sua irmã era uma “puta de um preto” e chamou o pobre coitado de macaco e outras coisas.Minha esposa levou minha filha e seu namorado para longe dali. Eu gritei com meu filho pelos seus atos. Eu não consegui chegar a lugar nenhum com ele então fiz ele esperar em seu quarto. Eu fui falar com minha filha. Pedi desculpas para seu namorado, chorando enquanto eu o fazia, dizendo que eu esperava que ele me perdoasse por deixar isso acontecer. Ele disse que ele estava arrependido de ter ficado violento, mas disse que só ficou pois meu filho bateu em sua namorada. Minha filha chorou e disse que seu irmão era um psicopata e a ameaçou de estupro, e que ele admitiu já ter gozado em sua escova de dentes e de cabelo.
Eu corri para o quarto dele, e disse firmemente que ele tinha que pegar suas coisas e sair. Eu disse que pagaria para ter suas coisas enviadas a ele, para onde ele fosse, mas que ele iria embora amanhã.
Minha esposa ficou na casa das minhas irmãs, e minha filha e seu namorado ficaram na casa dele por algumas noites.
No dia seguinte eu praticamente atirei meu filho para fora de casa enquanto ele gritava e chutava.
Eu tomei sua chave e mudei a senha do alarme e da porta da garagem. Um dia depois eu recebi uma mensagem requisitando que algumas de suas coisas – quase tudo seus jogos – sejam enviadas para um prédio estranho que eu não reconheci a algumas cidades daqui. Um homem aparentemente da idade de colegial tocou a campainha e eu entreguei as coisas a ele. Eu não vi meu filho.
Minha esposa e eu fomos até seu quarto. O namorado da minha filha veio em casa e ajudou a mover os móveis para a garagem. Nós jogamos fora seu colchão e outras coisas nojentas e fedidas, além de retirarmos e substituirmos o carpete.
Escondido em seu armário estava um monte de calcinhas da minha filha, tão saturadas com bolor e sêmen velho que estavam tão duras quanto tijolos. Talvez a pior parte seja que existiam algumas que minha filha jurava não ser dela, além de serem pequenas demais para serem da minha esposa. É possível que ele tenha roubado de minhas sobrinhas.
Tinha até mesmo um caderno contendo desenhos explícitos do meu filho estuprando violentamente várias mulheres e mantendo garotas pequenas acorrentadas em algum tipo de “calabouço sexual”. Eu mexi em seu celular antigo que ainda estava funcionando, e todas suas fotos eram screenshots de minhas sobrinhas e suas amigas usando biquínis, muitos pornôs de cartoons, muitos memes de incell, Trump e red pill (red pill, vinda do filme Matrix onde Morpheus oferece uma pílula vermelha para Neo, o fazendo acordar, é um termo na internet usada entre conservadores e apoiadores do Trump para explicar quando uma pessoa acordou de uma vida de doutrinação esquerdista). Ele ainda tinha o messenger, então eu chequei suas mensagens, a maioria delas era apenas ele tentando abusar de mulheres e garotas menores de idade.
Eu dei uma olhada em seu e-mail e, para meu desgosto, ele roubou fotos privadas da minha esposa de seu celular, e estava vendendo elas.
Hoje eu fui até a polícia com tudo que eu tinha e contei tudo que sabia.
Eu dei ao meu garoto tudo... Eu não sei porque ele acabou nesse caminho. Eu sou muito arrependido de ter falhado com ele. Eu não sei o que a polícia fará, mas espero que eles parem ele antes que ele machuque mais alguém.
A coisa mais triste é que, ontem, depois que tudo tinha terminado e acalmado, foi um dia maravilhoso. Um dos dias mais felizes que já tivemos.




É isso, se alguém quiser que eu altere alguma coisa é só falar, os edits são para isso


submitted by Dinohobby to brasil [link] [comments]


2018.05.25 04:37 scobaloba Ainda resta esperança no correio

Este é o meu primeiro post no reddit e não conheço muito bem as regras, portanto me desculpem se infringir alguma regra.
Gostaria de começar compartilhando uma história que possa de alguma forma dar esperança a todos que estão sofrendo com nosso querido correio.
No dia 27/11/2017, resolvi comprar um presente de natal para minha namorada, estava ciente que mesmo comprando com praticamente 1 mês de antecedência dificilmente chegaria antes do natal e também já havia informado a minha namorada sobre isto (claro que comprei outro presente para ela pois não deixaria a data passar em branco) (imagem : https://imgur.com/o9Ptl39 )
O Presente chegou ao nosso glorioso Brazil zil zil no dia 13/12/2017, logo pensei "ok, se chegou tão cedo assim, não deve demorar muito para chegar na minha casa", bom obviamente eu estava enganado, no dia 20/12/2017 tive a atualização no rastreio do correio de que o produto não havia sido taxado e após isso, foram 3 meses sem nenhuma atualização (imagem : https://imgur.com/BOufUY6 ), após a data dos 40 dias uteis para o recebimento do produto decidi abrir uma reclamação no site do correio (imagem : https://imgur.com/a/xBFnAre ), e então após quase 2 meses eles me respondem, detalhe, o correio te da um prazo de 8 dias uteis para responderem a reclamação, mas o pior não é isso, o pior é que após tanta demora para responderem sobre meu produto, respondem que ele foi extraviado ( imagem : https://imgur.com/BOufUY6 ), após isso tentei um reembolso com o site, mas como a data de proteção ao consumidor havia se encerrado (imagem : https://imgur.com/BOufUY6 ) eu não receberia meu reembolso, decidi tentar conversar direto com o vendedor usando meu inglês de Google Tradutor misturado a incontáveis horas de jogos,séries e músicas (imagens : https://imgur.com/eU1Fx2q , https://imgur.com/WrCG4yG ) eles estavam no direito deles, enviaram o produto na data certa e tudo mais.
Então já sem esperanças, pensei em ir até o Procon procurar meu direitos, apesar do valor perdido não ser tão alto era uma sacanagem sem tamanho, imagino quantos casos como o meu não estão acontecendo diariamente. Então hoje, dia 24/05/2018, recebo uma mensagem da minha mãe (imagem : https://imgur.com/qFdn0V7 ), eu nem acreditei na hora que vi a mensagem, após ser dado como extraviado, o produto estava na minha casa, decidi abrir o site de rastreio do correio (imagem : https://imgur.com/gwfTXqi ) e no dia 14/05/2018 ele havia apresentado uma atualização que eu nem sabia e hoje foi recebido o produto, é inacreditável, então é isso, finalizo o meu primeiro post com uma história de esperança para todos que estão com seus produtos extraviados ou atrasados.
submitted by scobaloba to brasil [link] [comments]


2016.12.26 00:16 Bikasz E aí, quais livros vocês ganharam de Natal?

Bom, vi um post parecido no /books e decidi perguntar aqui.
Eu ganhei alguns:
Como meu aniversário é no começo do mês, eu normalmente ganho tudo dobrado no Natal porque é quando algumas pessoas me encontram.
Da minha namorada eu ganhei quatro livros, a gente trocou presentes antes porque passamos o Natal separados. Ela me deu:
  1. Pergunte ao Pó, do John Fante. Nunca tinha ouvido falar, um professor nosso na faculdade fã do Bukowski recomendou em uma aula e ela acabou me dando (eu não estava na aula). Me surpreendeu totalmente, gostei bastante do livro.
  2. O Sol é para Todos, da Harper Lee. Eu sabia que esse livro era muito, muito foda. Li em dois dias e gostei pra caralho. Me surpreendi porque vai muito além da questão do racismo, arrisco a dizer que abrange o preconceito de uma forma geral e como algo "dado" e que não muda. A Scout se tornou uma das minhas personagens preferidas e acho que uma das razões pelo livro ser tão bom é por ter ela como narradora.
  3. O Estrangeiro, do Albert Camus. Bom, outro clássico que estava na minha lista mas eu não ia comprar tão cedo. Vou começar a ler amanhã, tô bem ansioso. Eu li a primeira página e gostei bastante do tom melancólico do narrador.
  4. A MONTANHA MÁGICA!, do Thomas Mann. Esse foi O presente. Ela comprou essa nova edição capa dura lindona da Cia das Letras na pré-venda ainda. Mandou demais. Eu esperava que o grande clássico que ela me daria seria Dom Quixote ou mesmo O Vermelho e o Negro que quero tem um tempo já, mas acabo que nunca compro e agora tá esgotado a edição da Cosac.
Do meu pai eu ganhei um livro que nunca tinha ouvido falar, Papillon. Ele disse que leu há uns 30 anos atrás. Quando abri fiquei meio "meeeeeeh" porque é uma edição com aquelas capas de filme e tal, não é um bom sinal hahah. Mas dei uma pesquisada e parece que é um bom livro. Me animei pelo fato de que é meio que uma autobiografia e o cara realmente escapou de uma prisão que ninguém tinha escapado antes.
Ganhei uns duzentos reais em dinheiro pra comprar livros também. Comprei a edição pocket da 34 de Dom Quixote (ia comprar a de luxo de R$120 da Nova Aguillar, mas desisti na última hora) e com a grana que "economizei" comprando a edição pocket, eu comprei o box de Irmãos Karamázov. Fiquei feliz porque entrei na Amazon hoje e só tinha uma cópia restante.
Com a grana que sobrou eu vou guardar por um tempo pra ver se aparece O Vermelho e o Negro da Cosac de novo, já que a Amazon comprou o estoque todo restante dos livros da Cosac, então tô com uma esperança.
E vocês, ganharam o quê?
submitted by Bikasz to brasil [link] [comments]


2016.12.18 16:03 popsnbangs [Semi-sério] Prendas de Natal C#$%&

Caríssimos, sempre me achei um especialista a dar prendas. Fazia as compras de Natal para toda a gente em menos de 1 hora e toda a gente adorava os presentes.
Este ano apanhei uma situação com a qual não contava. Primos a trazerem as namoradas. Como se não bastasse ser massacrado pelas tias pelo facto de eu ser o primo sem namorada este natal, ainda tenho de comprar prendas para estas gajas que praticamente não conheço.
"Bem, vou ter de comprar os bons e velhos chocolates" pensei eu, mas acontece que, azar do caralho, estão as duas de dieta (séria pelos vistos), segundo info das minhas tias cuscas.
Que é que eu posso comprar sem ser algo aborrecido/mau?
A minha vontade era não dar nada, mas dou sempre prendas a todos e não quero que se sintam excluídas logo assim de rajada.
Oferecer pénis também está fora de questão porque até me dou bem com os meus primos e elas pelas fotos não valem a pena o risco (2chubby4me).
submitted by popsnbangs to portugal [link] [comments]


2015.12.26 18:28 walkis Sugestões de locais para visitar com a minha namorada?

Boas tardes!
Como presente de Natal ofereci à minha namorada uma estadia comigo em Lisboa de dia 27 até dia 31 deste mês. Ambos temos 19 anos, e prometi-lhe que só lhe diria onde iríamos quando chegássemos lá. Gostava de conseguir preencher os 4 dias que vamos ficar lá (dia 27 apartir das 17:00 até dia 30, visto que 31 vamos sair de manhã) e por entre os "Starbucks" e um passeio pela Baixa do Chiado, lá conseguir arranjar uns bilhetes para o oceanário... Só. Para 4 dias. Lol.
Estou aqui porque necessito da vossa ajuda, /Portugal!. Alguém conhece locais/eventos/espectáculos onde a posso levar? Locais românticos? De preferência no horário da manha até final de tarde, em princípio... Agradeço antes de já todas as sugestões e ajuda :)
submitted by walkis to portugal [link] [comments]


4 PRESENTES DE NATAL MAIS DESEJADOS POR MULHERES O melhor presente de natal pra namorada Presente de Natal para o namorado: o que comprar? COMPRANDO PRESENTE DE NATAL PARA O NAMORADO!!!! - YouTube Top 10: Dicas de presentes de Natal para uma mulher Vaidosa +Dica EXTRA! Presente de Natal pra namorada Dicas de Presente de Natal pra Namorada Christmas Gift for boyfriend! Mimos tree [DIY]

11 prendas de natal para a namorada que merece tudo!

  1. 4 PRESENTES DE NATAL MAIS DESEJADOS POR MULHERES
  2. O melhor presente de natal pra namorada
  3. Presente de Natal para o namorado: o que comprar?
  4. COMPRANDO PRESENTE DE NATAL PARA O NAMORADO!!!! - YouTube
  5. Top 10: Dicas de presentes de Natal para uma mulher Vaidosa +Dica EXTRA!
  6. Presente de Natal pra namorada
  7. Dicas de Presente de Natal pra Namorada
  8. Christmas Gift for boyfriend! Mimos tree [DIY]

Dicas de presentes de Natal para namorada - Duration: 10:21. Thalita Alipio Recommended for you. 10:21. DIY I 5 IDEIAS DE PRESENTES DE NATAL CRIATIVOS E DIVERTIDOS I Dayana Rossi - Duration: 9:47. 🔴EM DIRETO🔴 POCOYO em PORTUGUÊS do BRASIL - Travessia marítima DESENHOS ANIMADOS para crianças POCOYO em PORTUGUÊS BRASIL - Canal Oficial 445 watching Live now O meu presente de natal para a minha namorada - Duration: 5:34. bolan7 Recommended for you. 5:34. 70 IDEIAS DE PRESENTES DE NATAL - Victoria van Enck - Duration: 7:29. Oiii amigos, agora os videos serão postados toda segunda e quinta!! Entao fiquem ligadinhos no canal, se inscreve se nao for inscrito e nao esquece de deixar... Dicas de Presentes diferentes para dar ao Namorado - Duration: 6:57. Izzes Utida 98,073 views. ... 5 sugestões de presentes de Natal BARATOS e muito bacanas :) - Duration: 6:01. Gift this beatiful Chritmas Gift Tree for your boyfriend! Price: Árvore de natal - R$ 2,50 Bombons - R$ 5,00 Cartões - R$ 1,00 Laços - R$ 1,00 TOTAL - R$ 9,50 Não esqueça de deixar o seu ... Presentes de natal mais desejados pelas mulheres! Assim você começa 2020 sem decepcionar. Os presentes de natal do vídeo pertencem a: - PERFUMES DA MANU: Ins... Presentes de Natal TOP Para Nós (Namorada) A Maria Vaidosa - Duration: 16:14. Mafalda Sampaio 64,064 views. 16:14. PRESENTES DE NATAL + DICAS PARA EMBRULHAR PRESENTES Feat.